terça-feira, 2 de setembro de 2008

Carta do Superior Geral - Mês de Setembro

Caríssimos irmãos e leigos da Família pavoniana, continuando o meu contato mensal com vocês, antes de tudo, agradeço a Deus o dom da fraternidade que nos une no seu nome e no nome do beato Padre Fundador. Ludovico Pavoni, sob a inspiração de Deus, deu vida na Igreja a uma nova instituição educativa e a uma nova família religiosa dedicada ao louvor de Deus e ao serviço dos jovens empobrecidos; uma realidade ainda viva hoje e presente em diversas partes do mundo, da qual todos nós fazemos parte, segundo a nossa vocação; uma realidade que nos une em espírito de família e em um amor apaixonado pela causa dos jovens. Do agradecimento por esta experiência brota para todos nós o privilégio e o compromisso de manter vivo o espírito que animou o Padre Fundador e de saber encarná-lo hoje. No caminho da Congregação, o Capítulo geral representa um momento importante e decisivo neste processo de fidelidade criativa. Estamos vivendo os primeiros passos da fase pós-capitular, que nos verá absorvidos nos próximos meses na assimilação e na realização inicial do Documento capitular. Para uma sua melhor compreensão, considero necessário o conhecimento do Relatório que apresentei no início do Capítulo geral. Esse é a chave interpretativa do Documento capitular, que deve ser lido, portanto, à sua luz. A comunidade religiosa no centro O Documento capitular já foi distribuído, ou está para sê-lo, em todas as comunidades, aos irmãos e leigos da Família pavoniana, da qual fazem parte também todos os nossos colaboradores. Em vista da sua difusão, está sendo impresso (no momento em italiano) também o Relatório que expus no Capítulo geral, que será também enviado à Santa Sé como Relatório periódico sobre o estado da Congregação. A elaboração do Documento capitular teve presente o Relatório inicial. Nele tratei, na primeira parte, da recepção e da realização do Documento capitular de 2002 e, na segunda parte, apresentei a realidade atual da nossa Congregação. Na terceira parte, ofereci algumas perspectivas de projetação. É esta a parte mais importante do Relatório, que inspirou a elaboração do Documento capitular. O tema de fundo do Documento é o da missão, como se deduz do título: “Fortes da fortaleza de Deus (CP 69), demos futuro à missão pavoniana”. O título nos faz tomar consciência, antes de tudo, de que dar futuro à missão pavoniana não é somente ou primeiramente um ato “humano”. Se não nos deixamos imbuir da força de Deus, caminhamos pouco nesta direção. Além disso, o título estimula a nos perguntar quem é o sujeito da missão: não se trata de um “cada um”, mas de um “nós”, de um nome coletivo. É a Congregação, é a comunidade o sujeito da missão. O sujeito da missão é a comunidade religiosa, em partilha e em estreita colaboração com os leigos da Família pavoniana. Daqui a necessidade do que chamei, com uma imagem evocativa, uma “revolução copernicana”: isto é, volver a dar centralidade à comunidade religiosa, colocar no centro a comunidade religiosa. Em torno da recuperação desta centralidade, também todas as outras dimensões da nossa vida podem encontrar seu sentido, sua consistência e seu impulso, inclusive a renovação da missão e o papel dos leigos na perspectiva da Família pavoniana. Não podemos prosseguir como antes Se isto é verdade, se isto é um dos pontos qualificadores do Documento capitular, algo novo deverá caracterizar a nossa vida e a vida de nossas comunidades. No aprofundamento do Documento capitular teremos oportunidade de analisar as implicações desta perspectiva. Por enquanto, limito-me a algumas indicações de fundo, começando a estimular cada comunidade para que mude alguma coisa no direcionamento da própria vida, na convicção de que não podemos prosseguir como antes. Não podemos prosseguir como antes: 1 – na organização da vida comunitária: somos chamados a crescer nas relações entre nós e a qualificar melhor os encontros de oração, os momentos comuns, a condução das atividades…; 2 – na relação com os colaboradores leigos: toda a comunidade se põe em relação com eles…; 3 – na atividade apostólica e educativa: trata-se de intensificar a incidência formativa e de se orientar por um sólido e eficaz projeto educativo; 4 – quanto à Igreja local e ao lugar onde atuamos: como nos inserir, o que assumir na expressão do nosso carisma; 5 – em relação à nossa vocação: reforçar o compromisso em salvaguardá-la e em promover novas vocações para a Congregação. As indicações apresentadas dizem respeito a todas as comunidades, que desde já são convidadas a caminharem sem hesitação e com confiança nesta direção. Cada comunidade, nenhuma excluída, está convidada a assumir estas instâncias e tem a possibilidade de dar passos concretos, começando a colocar em prática o Documento capitular. Não importa o lugar, importa o serviço No âmbito desta fase pós-capitular, no mês de setembro, haverá a renovação dos encargos provinciais. Todos os irmãos contribuíram ou estão contribuindo para manifestar a sua proposta, estou seguro, de modo responsável. Vivamos também esta passagem na lógica evangélica do espírito de serviço, recordando o que diz Jesus: “Vós sabeis que os que são considerados chefe das nações as dominam… Entre vós, porém, não é assim; mas… quem quiser ser o primeiro entre vós se fará servo de todos” (Mc 10, 42-44). Reafirmo o convite do Padre Fundador (cf. CP 65-66) para considerar que o que conta não é o papel que se desempenha ou a função que se assume, mas servir a Deus e ao bem do próximo. Disto somos chamados a dar testemunho, nisto contribuímos para o bem da Congregação, em qualquer posição em que nos encontrarmos. O lugar, ao contrário do que acontece no mundo, tem valor relativo. Deixemo-nos, cada vez mais, penetrar pela mentalidade do Senhor; esta tem dado e dá sentido à nossa vocação e ao estilo de vida da nossa vocação. Somente sobre esta base a fraternidade é reforçada e a dedicação à missão que nos é confiada torna-se fecunda. Agenda de setembro Nos dias 2 e 3, em Lonigo, estarão reunidos os religiosos e leigos que lecionam nas atividades escolares e profissionais da Itália, para um encontro de formação que já acontece há vários anos. Domingo, dia 7, farão a primeira profissão religiosa na Congregação os quatro noviços que estão em Tradate (Andrea Antonelli, Arthur Kaba, Régis Kimwanga e Pierre Michel Towada) e dois noviços de Asmara (Andom Abrehe e Yemane Sultan). Com eles agradeçamos a Deus e peçamos que os guarde na fidelidade e no autêntico espírito pavoniano. Domingo, dia 14, em Montagnana, será realizado Convênio anual internacional do GMA. De 19 a 21, em Tratade, haverá a reunião do Conselho geral. No dia 27, em Majadahonda (Madrid), reunir-se-ão os animadores religiosos e leigos dos grupos Saiano. Às comunidades que, neste mês, iniciam um novo ano de vida e de atividade, faço votos de que possam retomar o caminho com ânimo renovado. E sobre todos vocês, invoco a bênção de Deus e a intercessão de Maria Imaculada e do beato Padre Fundador. Cumprimento a todos no Senhor.
Pe. Lorenzo Agosti, FMI Tradate, 1.º de setembro de 2008.

Oração Vocacional Pavoniana

Oração Vocacional Pavoniana
Divino Mestre Jesus, ao anunciar o Reino do Pai escolheste discípulos e missionários dispostos a seguir-te em tudo; quiseste que ficassem contigo numa prolongada vivência do “espírito de família” a fim de prepará-los para serem tuas testemunhas e enviá-los a proclamar o Evangelho. Continua a falar ao coração de muitos e concede a quantos aceitaram teu chamado que, animados pelo teu Espírito, respondam com alegria e ofereçam sem reservas a própria vida em favor das crianças, dos surdos e dos jovens mais necessitados, a exemplo do beato Pe. Pavoni. Isto te pedimos confiantes pela intercessão de Maria Imaculada, Mãe e Rainha da nossa Congregação. Amém!

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL - FMI - "Vem e Segue-Me" é Jesus que chama!

  • Aspirantado "Nossa Senhora do Bom Conselho": Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Orientador dos Aspirantes – Pe. Célio Alex, FMI - Colaborador: Ir. Quelion Rosa, FMI.
  • Aspirantado "Pe. Antônio Federici": Q 21, Casas 71/73 . Setor Leste. CEP 72460-210 - Gama / DF . Telefax: (61) 3385.6786. Orientador dos Aspirantes - Ir. José Roberto, FMI.
  • Comunidade Religiosa "Nossa Senhora do Bom Conselho": SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944. Pastoral Vocacional: Ir. Thiago Cristino, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Basílica de Santo Antônio: Av. Santo Antônio, 2.030 - Bairro Santo Antônio. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3223.3083 (Comunidade Religiosa Pavoniana) / (27) 3223.2160 / 3322.0703 (Basílica de Santo Antônio) . Reitor da Basílica: Pe. Roberto Camillato, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Paróquia São Sebastião: Área Especial 02, praça 02 - Setor Leste. CEP 72460-000 - Gama/DF. Tel.: (61) 34841500 . Fax: (61) 3037.6678. Pároco: Pe. Natal Battezzi, FMI. Pastoral Vocacional: Pe. José Santos Xavier, FMI.
  • Juniorado "Ir. Miguel Pagani": Rua Dias Toledo, 99 - Bairro Vila Paris. CEP 30380-670 - Belo Horizonte / MG. Tel.: (31) 3296.2648. Orientador dos Junioristas - Pe. Claudinei Ramos Pereira, FMI. ***EPAV - Equipe Provincial de Animação Vocacional - Contatos: Ir. Antônio Carlos, Pe. Célio Alex e Pe. Claudinei Pereira, p/ e-mail: vocacional@pavonianos.org.br
  • Noviciado "Maria Imaculada": Rua Bento Gonçalves, 1375 - Bairro Centro. CEP 93001-970 - São Leopoldo / RS . Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.1087. Mestre de Noviços - Pe. Renzo Flório, FMI. Pastoral Vocacional: Ir. Johnson Farias e Ir. Bruno, FMI.
  • Seminário "Bom Pastor" (Aspirantado e Postulantado): Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Orientador do Seminário - Ir. César Thiago do Carmo Alves, FMI.

Associação das Obras Pavonianas de Assistência: servindo as crianças, os surdos e os jovens!

  • Centro Comunitário "Ludovico Pavoni": Rua Barão de Castro Lima, 478 - Bairro: Real Parque - Morumbi. CEP 05685-040. Tel.: (11) 3758.4112 / 3758.9060.
  • Centro de Apoio e Integração dos Surdos (CAIS) - Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Coordenador: Luís Vicente Caixeta
  • Centro de Formação Profissional: Av. Santo Antônio, 1746. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3233.9170. Telefax: (27) 3322.5174. Coordenadora: Sra. Rosilene, Leiga Associada da Família Pavoniana
  • Centro Educacional da Audição e Linguagem Ludovico Pavoni (CEAL-LP) SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944 . Diretor: Pe. José Rinaldi, FMI
  • Centro Medianeira: Rua Florêncio Câmara, 409 - Centro. CEP 93010-220 - São Leopoldo/RS. Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.2797 / 3589.6874. Diretor: Pe. Renzo Flório, FMI
  • Colégio São José: Praça Dom Otávio, 270 - Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre/MG - Caixa Postal: 149. Tel.: (35) 3423.5588 / 3423.8603 / 34238562. Fax: (35) 3422.1054. Cursinho Positivo: (35) 3423. 5229. Diretor: Prof. Giovani, Leigo Associado da Família Pavoniana
  • Escola Gráfica Profissional "Delfim Moreira" Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Diretor: Pe. Nelson Ned de Paula e Silva, FMI.
  • Obra Social "Ludovico Pavoni" - Quadra 21, Lotes 71/72 - Gama Leste/DF. CEP 72460-210. Tel.: (61) 3385.6786. Coordenador: Sra. Sueli
  • Obra Social "Ludovico Pavoni": Rua Monsenhor Umbelino, 424 - Centro. CEP 37110-000 - Elói Mendes/MG. Telefax: (35) 3264.1256 . Coordenadora: Sra. Andréia Mendes, Leiga Associada da Família Pavoniana.
  • Obra Social “Padre Agnaldo” e Pólo Educativo “Pe. Pavoni”: Rua Dias Toledo, 99 - Vila Paris. CEP 30380-670 – Belo Horizonte/MG. Tels.: (31) 3344.1800 - 3297.4962 - 0800.7270487 - Fax: (31) 3344.2373. Diretor: Pe. André Callegari, FMI.

Total de visualizações de página

Vídeos Pavonianos

Loading...

Quem sou eu?

Minha foto
Bréscia, Italy
Sou fundador da Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada, conhecida popularmente como RELIGIOSOS PAVONIANOS. Nasci na Itália no dia 11 de setembro de 1784 numa cidade chamada Bréscia. Senti o chamado de Deus para ir ao encontro das crianças e jovens que, por ocasião da guerra, ficaram órfãos, espalhados pelas ruas com fome, frio e sem ter o que fazer... e o pior, sem nenhuma perspectiva de futuro. Então decidi ajudá-los. Chamei-os para o meu Oratório (um lugar onde nos reuníamos para rezar e brincar) e depois ensinei-os a arte da marcenaria, serralheria, tipografia (fabricar livros), escultura, pintura... e muitas outras coisas. Graças a Deus tudo se encaminhou bem, pois Ele caminhava comigo, conforme prometera. Depois chamei colaboradores para dar continuidade àquilo que havia iniciado. Bem, como você pode perceber a minha história é bem longa... Se você também quer me ajudar entre em contato. Os meus amigos PAVONIANOS estarão de portas abertas para recebê-lo em nossa FAMÍLIA.