domingo, 3 de julho de 2011

O Superior geral

Caríssimos irmãos e leigos da Família pavoniana,

escrevo-lhes com o coração cheio de preocupação e de esperança, de alegria e de apreensão. Os fatos que dizem respeito à Congregação são um entrelaçado de boas notícias e de fatos dolorosos. Percebo que esta é a realidade da vida de toda pessoa, das nossas famílias, da convivência social, de toda instituição e mesmo dentro da Igreja. É a fé em Deus que nos sustenta, é a confiança na sua Providência que nos dá coragem e que nos conforta em cada tribulação. Além disso, é a proximidade de irmãos e o compromisso maravilhoso de tantos deles que são o sinal da ação de Deus, da sua presença entre nós e do seu amor misericordioso que nunca falta.

Justamente, nesta perspectiva, convido cada um a prosseguir o caminho, fazendo prevalecer os motivos de confiança e de esperança que estão na base da nossa vida, tanto pessoal como comunitária. O Senhor nos quer bem e, se procuramos fazer a sua vontade, nenhuma dificuldade ou fragilidade poderá abater-nos ou tirar-nos a alegria que vem dele. O Senhor ama a nossa Congregação. Leiamos, portanto, cada acontecimento a respeito dela como uma realidade que nos toca e que nos torna corresponsáveis em dar a nossa contribuição, para realizar o projeto de Deus sobre nós, em favor dos jovens e dos pobres.

A Consulta geral foi um momento de graça na história atual da Congregação. Retomo este acontecimento, para que possamos valorizá-lo como estímulo propulsivo que pode dar para a Congregação toda.
Comunidade unida: ponto de força da nossa renovação e garantia do futuro da Congregação

A Consulta geral se deu na metade do sexênio e se colocou em plena continuidade com o Documento capitular. Este Documento é para a Congregação o principal ponto de referência, que estimula cada um de nós e cada comunidade a perceber as modalidades concretas de realização da Regra de Vida, em relação às circunstâncias nas quais nos encontramos. A avaliação que, das comunidades e por meio das Províncias, chegou à Assembleia geral, evidenciou que foram dados passos, mas que devemos ainda realizar um trabalho sólido de concretização das exigências capitulares. Estas exigências não caíram do alto, mas são o fruto acreditado do quanto todos nós evidenciamos como importante para hoje. A exigência de ser comunidade unida (cf. Doc. cap. 3) pode realmente representar o coração do Documento capitular e o ponto de força da nossa renovação e de garantia para o futuro da Congregação.

E para ser “comunidade unida” são necessárias algumas condições.

Uma primeira condição é a de jamais colocar a si mesmo como centro de tudo. Se coloco no centro a mim mesmo, a minha realização, as minhas ideias, as minhas exigências pessoais, não daremos muitos passos em direção à comunidade unida. Devemos certamente valorizar todas as nossas aptidões, mas para pô-las à disposição de um projeto comum.

Uma outra condição é a de colocar realmente Deus no centro da nossa vida e da nossa comunidade. Somente de Deus nos vem a motivação última e a força fundamental para superar a tendência de colocar a nós mesmos no centro. As motivações humanas não são suficientes. O que nos levou a acolher a vocação à qual Deus nos chamou é também o que nos sustenta para colocar no centro Ele e a comunidade. Neste percurso, a palavra de Deus, se a acolhemos e a meditamos seriamente, nos ilumina cada dia e nos orienta, e a graça da oração e da eucaristia nos converte e nos sustenta.

Assim também é necessário colocar Deus no centro da comunidade, se quisermos ser comunidade unida. É ele que nos ajuda a vê-lo em cada irmão, sem excluir ninguém, a superar as diferenças que existem entre nós, e a convergir em unidade de coração e de objetivos.

Sobres estas bases podem e devem encontrar espaços outras condições, como o valor da obediência, a capacidade de diálogo, a maturidade humana, a humildade, a disponibilidade à ajuda recíproca, ao perdão e à colaboração …

Além disso, não pode faltar a condição de uma relação sempre mais consistente entre religiosos e leigos. A realidade da partilha de um mesmo carisma e da participação a uma missão comum deve levar toda a comunidade a relacionar-se com os leigos, como parte constitutiva da Família pavoniana. A realização da missão se torna assim expressão de uma comunidade unida que, junto com os leigos, se consome para continuar a realizar o que Deus iniciou com o Padre Fundador.

Da Consulta geral ao triênio 2011-2014

Como já lembrei, no próximo Boletim interno encontraremos o material essencial que foi objeto de estudos na Consulta geral. Seria bom que cada um de nós o tome, ou retome, em consideração, para procurar juntos realizar o que julgamos importante para este período histórico que o Senhor nos concedeu viver.

Na Consulta, também foi apresentado o programa básico para o próximo triênio, com a especificação dos temas do ano, em torno dos quais concretizar o Documento capitular.

O período 2011/12 é proposto como Ano da missão educativa pavoniana. É este o núcleo central do nosso carisma e do Documento capitular. A ocasião é oferecida também pela circunstância do bicentenário da fundação do Oratório por padre Pavoni, realizada em Bréscia, em 1812. Tratar-se-á de dar consistência e realizar o Projeto educativo pavoniano, com possíveis pistas de reprojetação da nossa missão. O slogan escolhido, retomando uma feliz expressão do Fundador, é: Coloquemos nos jovens as mais belas esperanças.

O período de 2012/13 o viveremos como um especial Ano mariano. O Documento capitular se desenvolve partindo da imagem de Caná. Parece-nos oportuno, portanto, dar relevo à figura e à presença de Maria na nossa vida e na nossa missão. Escutaremos, em particular, como dirigidas a nós, as palavras pronunciadas por Maria naquela ocasião: “Fazei tudo o que ele vos disser” (Jo 2, 5).

Além disso, no triênio que iniciamos, propõe-se que cada comunidade dedique uma hora mensal de adoração pelas vocações. Encontraremos no Boletim interno, de modo mais amplo, as motivações e as formas para concretizar esta proposta.

Como verão, os programas que nos tocam são consistentes e poderão ser suporte válido para a realização do Documento capitular, à luz dos incentivos da Consulta geral.

Um mês de julho rico de acontecimentos

Neste mês de julho, será realizado o terceiro encontro (depois daqueles de 1998 e de 2005) entre os religiosos mais jovens da Congregação. Será em Vitória, no Brasil, de 11 a 25 de julho. Trata-se de uma experiência de interculturalidade, apta a favorecer o conhecimento recíproco e o sentido de pertença à Congregação, em um contexto de formação que não poderá senão fazer bem a todos os participantes, naturalmente com a condição que o vivam, como é de se esperar, com plena disponibilidade ao que lhes será proposto. Durante o encontro, domingo, dia 24, emitirão a profissão perpétua ir. César Thiago do Carmo Alves e ir. José Roberto de Oliveira Filho.

Sábado, dia 16 de julho, receberão a ordenação sacerdotal, em Asmara, os diáconos Mihreteab Solomon Okubu e Yonas Fesshaye Michael. É um grande dom de Deus para a nossa comunidade eritréia. Nestes dias estarei presente junto a eles e levarei a solidariedade e a presença de toda a Família pavoniana.

O curso de formação, as profissões perpétuas e as ordenações são acontecimentos de alegria e de graça para a Congregação. Agradeçamos a Deus e rezemos intensamente pelos nossos religiosos mais jovens, a fim de que sejam uma força consistente para a continuidade do carisma pavoniano e um motivo válido de esperança para o nosso futuro.

Esta oração intensa não seja feita somente pelos irmãos que participarão do retiro espiritual anual em Ponte di Legno, entre 24 e 30 de julho, mas também por cada comunidade. Durante os meses de julho e de agosto, procuremos todos encontrar dias de recolhimento, para reavivar a qualidade da nossa vida espiritual e para dar solidez às motivações que estão na base da nossa resposta ao Senhor. Isto será de especial sustento a quantos, sobretudo na Itália e na Espanha, neste período são chamados pela obediência a mudar de comunidade e de atividade.

Que todos possamos experimentar aquela estupenda expressão de Dante, de inspiração evangélica e de sabor franciscano: “Na tua vontade, Senhor, está a nossa paz” (cf. Paraíso III, 85).

Com estes votos saúdo a todos em nome do Senhor, com a certeza de gozar da constante intercessão de Maria Imaculada e do beato Ludovico Pavoni, nosso Fundador.

pe. Lorenzo Agosti
Tradate, 1° de julho de 2011, solenidade do Sacratíssimo Coração de Jesus

Oração Vocacional Pavoniana

Oração Vocacional Pavoniana
Divino Mestre Jesus, ao anunciar o Reino do Pai escolheste discípulos e missionários dispostos a seguir-te em tudo; quiseste que ficassem contigo numa prolongada vivência do “espírito de família” a fim de prepará-los para serem tuas testemunhas e enviá-los a proclamar o Evangelho. Continua a falar ao coração de muitos e concede a quantos aceitaram teu chamado que, animados pelo teu Espírito, respondam com alegria e ofereçam sem reservas a própria vida em favor das crianças, dos surdos e dos jovens mais necessitados, a exemplo do beato Pe. Pavoni. Isto te pedimos confiantes pela intercessão de Maria Imaculada, Mãe e Rainha da nossa Congregação. Amém!

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL - FMI - "Vem e Segue-Me" é Jesus que chama!

  • Aspirantado "Nossa Senhora do Bom Conselho": Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Orientador dos Aspirantes – Pe. Célio Alex, FMI - Colaborador: Ir. Quelion Rosa, FMI.
  • Aspirantado "Pe. Antônio Federici": Q 21, Casas 71/73 . Setor Leste. CEP 72460-210 - Gama / DF . Telefax: (61) 3385.6786. Orientador dos Aspirantes - Ir. José Roberto, FMI.
  • Comunidade Religiosa "Nossa Senhora do Bom Conselho": SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944. Pastoral Vocacional: Ir. Thiago Cristino, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Basílica de Santo Antônio: Av. Santo Antônio, 2.030 - Bairro Santo Antônio. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3223.3083 (Comunidade Religiosa Pavoniana) / (27) 3223.2160 / 3322.0703 (Basílica de Santo Antônio) . Reitor da Basílica: Pe. Roberto Camillato, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Paróquia São Sebastião: Área Especial 02, praça 02 - Setor Leste. CEP 72460-000 - Gama/DF. Tel.: (61) 34841500 . Fax: (61) 3037.6678. Pároco: Pe. Natal Battezzi, FMI. Pastoral Vocacional: Pe. José Santos Xavier, FMI.
  • Juniorado "Ir. Miguel Pagani": Rua Dias Toledo, 99 - Bairro Vila Paris. CEP 30380-670 - Belo Horizonte / MG. Tel.: (31) 3296.2648. Orientador dos Junioristas - Pe. Claudinei Ramos Pereira, FMI. ***EPAV - Equipe Provincial de Animação Vocacional - Contatos: Ir. Antônio Carlos, Pe. Célio Alex e Pe. Claudinei Pereira, p/ e-mail: vocacional@pavonianos.org.br
  • Noviciado "Maria Imaculada": Rua Bento Gonçalves, 1375 - Bairro Centro. CEP 93001-970 - São Leopoldo / RS . Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.1087. Mestre de Noviços - Pe. Renzo Flório, FMI. Pastoral Vocacional: Ir. Johnson Farias e Ir. Bruno, FMI.
  • Seminário "Bom Pastor" (Aspirantado e Postulantado): Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Orientador do Seminário - Ir. César Thiago do Carmo Alves, FMI.

Associação das Obras Pavonianas de Assistência: servindo as crianças, os surdos e os jovens!

  • Centro Comunitário "Ludovico Pavoni": Rua Barão de Castro Lima, 478 - Bairro: Real Parque - Morumbi. CEP 05685-040. Tel.: (11) 3758.4112 / 3758.9060.
  • Centro de Apoio e Integração dos Surdos (CAIS) - Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Coordenador: Luís Vicente Caixeta
  • Centro de Formação Profissional: Av. Santo Antônio, 1746. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3233.9170. Telefax: (27) 3322.5174. Coordenadora: Sra. Rosilene, Leiga Associada da Família Pavoniana
  • Centro Educacional da Audição e Linguagem Ludovico Pavoni (CEAL-LP) SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944 . Diretor: Pe. José Rinaldi, FMI
  • Centro Medianeira: Rua Florêncio Câmara, 409 - Centro. CEP 93010-220 - São Leopoldo/RS. Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.2797 / 3589.6874. Diretor: Pe. Renzo Flório, FMI
  • Colégio São José: Praça Dom Otávio, 270 - Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre/MG - Caixa Postal: 149. Tel.: (35) 3423.5588 / 3423.8603 / 34238562. Fax: (35) 3422.1054. Cursinho Positivo: (35) 3423. 5229. Diretor: Prof. Giovani, Leigo Associado da Família Pavoniana
  • Escola Gráfica Profissional "Delfim Moreira" Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Diretor: Pe. Nelson Ned de Paula e Silva, FMI.
  • Obra Social "Ludovico Pavoni" - Quadra 21, Lotes 71/72 - Gama Leste/DF. CEP 72460-210. Tel.: (61) 3385.6786. Coordenador: Sra. Sueli
  • Obra Social "Ludovico Pavoni": Rua Monsenhor Umbelino, 424 - Centro. CEP 37110-000 - Elói Mendes/MG. Telefax: (35) 3264.1256 . Coordenadora: Sra. Andréia Mendes, Leiga Associada da Família Pavoniana.
  • Obra Social “Padre Agnaldo” e Pólo Educativo “Pe. Pavoni”: Rua Dias Toledo, 99 - Vila Paris. CEP 30380-670 – Belo Horizonte/MG. Tels.: (31) 3344.1800 - 3297.4962 - 0800.7270487 - Fax: (31) 3344.2373. Diretor: Pe. André Callegari, FMI.

Total de visualizações de página

Vídeos Pavonianos

Loading...

Quem sou eu?

Minha foto
Bréscia, Italy
Sou fundador da Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada, conhecida popularmente como RELIGIOSOS PAVONIANOS. Nasci na Itália no dia 11 de setembro de 1784 numa cidade chamada Bréscia. Senti o chamado de Deus para ir ao encontro das crianças e jovens que, por ocasião da guerra, ficaram órfãos, espalhados pelas ruas com fome, frio e sem ter o que fazer... e o pior, sem nenhuma perspectiva de futuro. Então decidi ajudá-los. Chamei-os para o meu Oratório (um lugar onde nos reuníamos para rezar e brincar) e depois ensinei-os a arte da marcenaria, serralheria, tipografia (fabricar livros), escultura, pintura... e muitas outras coisas. Graças a Deus tudo se encaminhou bem, pois Ele caminhava comigo, conforme prometera. Depois chamei colaboradores para dar continuidade àquilo que havia iniciado. Bem, como você pode perceber a minha história é bem longa... Se você também quer me ajudar entre em contato. Os meus amigos PAVONIANOS estarão de portas abertas para recebê-lo em nossa FAMÍLIA.