segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Palavra de Deus: alimento para a vocação

EU ENCONTREI O TESOURO QUE ESTAVA BUSCANDO!
Dinâmica Inicial: Barco, Mar e Farol

No princípio era a Palavra... era Deus... que se encarnou (Jo 1, 1.14)
*    O contato com a Palavra de Deus já é um diálogo[1] que flui naturalmente entre Deus e o ser humano, isto é, pela sua própria iniciativa, Deus Comunica-se a Si e nos oferta a sua Salvação através de sua Palavra.
*    A Palavra é a presença atuante e salvadora de Deus[2] para o seu povo. pela Boa Notícia de Jesus comunicada a nós no momento da proclamação do Evangelho. Pois é o próprio Cristo que vem a nós e nos comunica a salvação pelos seus mistérios: “o evangelho que vos preguei e que recebestes, e no qual estais firmes. Por ele (Evangelho) sois salvos, se o estais guardando tal qual ele vos foi pregado por mim” (1 Cor 15, 1-2). Para que algo seja conservado, é necessário que seja importante. São Paulo é categórico ao afirmar a necessidade de se conservar a Palavra de Deus, mas não só, mas a sua observância na vida (prática: fé e vida – Lex orandi, Lex credendi), pois foi essa a maneira com a qual São Paulo pregou o Evangelho de Cristo.
*    Assim, a Palavra viva do Evangelho é transmitida, recebida e guardada – termos retirados do vocabulário técnico da tradição rabínica (Cf. 1Cor 11,23). Mas o Evangelho é principalmente anunciado (vv. 1.2), proclamado (v. 11) o ‘κερίγμα - kerigma’(Cf. Mt 4,23); objeto de FÉ (vv. 2.11; Mc 1,15) e portador da Salvação (v.2; At 11, 14; 16,17).
*    Tal maravilhosa presença de Deus entre nós exige uma atitude de profundo recolhimento e escuta atenta ao ouvir a mensagem que o Senhor tem a nos dizer. A Palavra de Deus é transformadora DABAR, isto é, viva, eficaz, atuante, motivadora, que se compre e provoca em nosso coração sua ‘ação transformadora’ – “Como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam, sem terem regado a terra, tornando-a fecunda e fazendo-a germinar, dando semente ao semeador e pão ao que come, tal ocorre com a palavra que sai da minha boca: ela não volta a mim sem efeito; sem ter cumprido o que eu quis realizado o objetivo de sua missão” (Is 55,10-11).
*    A Palavra de Deus é alimento[3] força, e estímulo para todos aqueles que desejam segui-Lo, pois nos oferece alimento para renovar o nosso ânimo abatido a fim de que possamos retomar a caminhada com coragem e determinação. Ela é a bússola que orienta o nosso barco (vida); sem ela caminhar torna-se mais penoso, haja vista que ela clareia a nossa vida, nos indica de maneira prática O CAMINHO que devemos trilhar para encontrar o nosso, tesouro, a pedra preciosa[4], isto é, Jesus Cristo.
*    Meu desejo é que estejamos sempre conscientes da nossa vocação, como um chamado de Deus, e façamos sempre da Palavra um guia que nos conduz por ‘mares tranquilos’ a fim de nos orientarmos inteiramente para Ele.
*    É a Palavra quem esclarece e nos põe no rumo certo de seguimento ao Senhor; sem ela nada podemos, pois caminhar torna-se incerto, confuso; o mar torna-se agitado, “é como caminhar na escuridão”, tropeçamos... e o pior fazemos os outros que estão à nossa volta tropeçarem.

Sugestão:
- Para um aprofundamento no tema, rezar os salmos propostos na Liturgia das Horas. Tal é a riqueza contida neles bem como o sentimento de profunda gratidão do salmista, além das eclarações gratuitas de amor que Deus manifesta a cada um de nós.


Ir. Thiago Cristino, FMI.
Na ocasião do encontro vocacional promovido pelas
Irmãs Oblatas do Menino Jesus, Asa Norte, Brasília/DF




[1] Sacrosanctum Concilium - SC,33.
[2] SC,07; Instrução Geral ao Missal Romano - IGMR, 27.
[3] Dei Verbum, 21.
[4] Sl 118, 22-23.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Orientação sobre as eleições 2010


ARQUIDIOCESE DE POUSO ALEGRE

COMISSÃO DO COMPROMISSO SÓCIO-TRANSFORMADOR


I. O MUNDO DA POLÍTICA
O que é Política: Política é o cuidado com as coisas públicas para o bem comum. As pessoas que cumprem os seus deveres e lutam pelas melhorias dos lugares públicos fazem POLÍTICA.

O que é politicagem: é o abuso do poder político. É cuidar dos bens públicos em prejuízo do bem de todos. Em Política não existe neutralidade.  Quem diz que não gosta de Política está favorecendo os POLITIQUEIROS.

Política é importante: nossa vida toda depende de decisões políticas. Por isso discutir os problemas com os amigos é importante. Para escolher nossos representantes é necessário estar bem informado (através do noticiário e/ou
internet) para não comprar “GATO POR LEBRE”.

O poder do voto: o sistema político brasileiro é a Democracia. Ou seja, são os cidadãos que elegem os governantes. Por isso o voto é o instrumento que temos para escolher bons políticos e para eliminar os FICHAS SUJAS. Na democracia os governantes são eleitos através do voto.

II. O SISTEMA POLÍTICO BRASILEIRO
A organização do governo brasileiro se faz mediante os três poderes:

Poder Executivo: É responsável pelo planejamento e execução das obras, administrando o Orçamento público. É exercido pelo Prefeito e Secretários; Governadores de Estado e Secretários e pelo Presidente da República e Ministros.

Poder Legislativo: Tem a missão de elaborar leis, aprovar os orçamentos e fiscalizar o poder executivo. É exercido pelas Câmaras de Vereadores, Assembléias Legislativas Estaduais e pelo Congresso Nacional ( Senado e Câmara dos Deputados).

Poder Judiciário: Sua função é aplicar as leis, garantir os direitos dos cidadãos e solucionar os conflitos. É exercido pelos Juízes que compõe o Supremo Tribunal Federal, os Tribunais Estaduais e os Fóruns nas Comarcas.

         DESCONFIE DE CANDIDATOS QUE PROMETEM O QUE NÃO É DA COMPETÊNCIA DO CARGO A QUE SE CANDIDATA, ELE NÃO VAI CUMPRIR O QUE PROMETE!!!

III. EM QUEM VOTAR
O nome candidato vem do latim “candidus”, que significa “limpo”.  Por isso o cristão não deve votar em candidato cujas idéias contrariem suas convicções ou que tenham FICHA SUJA.

Em quem você votou na última eleição? É preciso responder também: o que fez o seu candidato, se eleito, durante o mandato? Não acompanhar o político em que se vota é ser você também SUJO se ele for SUJO.

Quem é bom e quem é mal: o mau pastor, assim como o bom também se preocupa com as ovelhas. A diferença é que o bom pastor olha para as necessidades de suas ovelhas, o mal pastor quer TIRAR VANTAGENS delas.

Nossa missão: vigiar os candidatos, denunciando os casos de corrupção. Para isso temos a Lei 9840.

IV. CRITÉRIOS PARA ESCOLHA DOS CANDIDATOS:
  • Conhecer sua história de vida pessoal e política, vendo se seu nome não tem aparecido nos escândalos,

·         Ver se ele é a favor da vida ou se defende propostas contra a vida como o aborto,

  • Analisar a vida do candidato(a) e ver se ele se pauta pela honestidade, se honra seus compromissos, se defende políticas que favorecem o povo e se é transparente,

  • Procurar saber se é bom administrador e bom gestor.

Desconfie de candidatos que:

  • Gastam muito na campanha,
  • Estejam ligados a pessoas sem credibilidade,
  • Prometem muito,
  • Aparecem do nada.


V. QUAIS OS CARGOS QUE VAMOS ELEGER EM 2010:

  • Presidente da República e Governador do Estado

  • Dois Senadores por Estado, Deputado Federal e Deputado Estadual.

VI. DEVERES DO CIDADÃO CRISTÃO:

  • Votar  com consciência e liberdade;
  • Não deixar de votar, não anular e muito menos vender o voto;
  • Não votar em candidatos que defendam idéias contrárias às orientações da Igreja e da sua consciência.


“VOTO NÃO TEM PREÇO. TEM CONSEQUÊNCIA!”

PARA REFLETIR:  Juizes 9, 8 - 15


Colaboração de Ir. Adejalmo Stalter, FMI
Comunidade Religiosa Pavoniana de Pouso Alegre-MG

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

O Superior geral


Caríssimos irmãos e leigos da Família pavoniana,
            enquanto iniciamos o mês de setembro, que para muitas comunidades representa o início de um novo ano de atividade (o terceiro depois do Capítulo geral), quero partir de algumas palavras de Jesus, que a liturgia proclamou-nos nos dias passados e que me atingiram de modo particular em nível pessoal.

“Observai tudo o que vos dizem, mas não façais segundo suas obras,…

            ...porque eles dizem e não fazem “(Mt 23, 3). São palavras fortes de Jesus, que se referem aos escribas e fariseus, isto é, àqueles que tinham autoridade sobre o povo. Os valores perenes da palavra de Jesus a tornam atual também para os nossos tempos, a tornam válida também para as nossas relações hodiernas.
            Sinto-me interpelado, em primeira pessoa, por estas afirmações de Jesus. Porém, penso que também os que entre nós se revestem de algum papel de autoridade se sintam provocados pelo Senhor a perguntar se, de sua parte, procuram realizar o que exigem dos outros.
            Há uma grande responsabilidade em testemunhar, que cabe a quem está revestido de autoridade. Jesus o acentua com força e clareza.  Mas, existe também uma responsabilidade pessoal,  por parte de qualquer um, em não alegar desculpas ou pretextos diante das incoerências de quem é superior, para eximir-se de ser fiel aos próprios deveres. É sempre a mesma palavra de Jesus que nos recorda isso sem descontos: “Observai tudo o que vos dizem”.
            Foi escrito: “Não raramente somos inclinados a tornar menos exigente a nossa vida de seguimento, porque os que deveriam dar o exemplo não o dão ou porque somos testemunhas de incoerências muito fortes por parte dos pastores. Tal atitude, além de ser um álibi muito fraco, é também um sinal de imaturidade humana e espiritual”. Todos, então, qualquer que seja o nosso ofício, estamos unidos por responsabilidades semelhantes. Todos somos chamados por Jesus a imitá-lo como aquele que veio “não para ser servido, mas para servir e dar a vida” (Mt 20, 28).
            Jesus, depois de ter lavado os pés dos seus discípulos, disse-lhes: “Pois bem, eu, que sou o Mestre e Senhor, lavei os vossos pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. De fato, vos dei um exemplo, para que vós também façais a mesma coisa” (Jo 13, 14-15). Todos somos chamados por Jesus, para viver numa atitude de serviço e, portanto, de  constante conversão; é isto que nos une e caracteriza a vida de todo discípulo de Jesus.
            Solicitados e chamados, por esta perspectiva, podemos, agora, com maior confiança e disponibilidade, continuar realizando aquilo que a Regra nos propõe como expressão do projeto de vida, que assumimos com a profissão religiosa diante de Deus e diante dos irmãos.

Programação e revisão, vivendo “dia a dia o espírito de Caná”

            Para aquelas comunidades que, neste mês de setembro, encaminham e reveem a programação para o novo ano de vida e de atividade, lembro alguns pontos de referência a terem presentes. São indicações que, ao mesmo tempo, podem servir às outras comunidades como avaliação do que programaram há tempo.  
            Comunidade unida com os leigos para a missão é o tema proposto para o terceiro ano pós-capitular. Pode-se partir dos passos dados ou ainda a serem dados no que se refere à comunidade unida.
* A comunidade constrói a sua unidade, antes de tudo, em torno do Senhor. É necessário fazer com que os dois momentos de oração comunitária da manhã e da tarde sejam um fundamento sólido e significativo para cada jornada nossa. No anexo à carta de setembro do ano passado, sintetizei um esboço de horário, que recolhe o quanto prescreve a Regra de Vida. Remeto a ele, bem como às notas que lhe estavam unidas.
            É importante que os momentos cotidianos de oração comunitária sejam bem preparados e bem participados. Não falte a partilha da palavra de Deus, sob a forma da leitura orante - lectio divina - ou de outras experiências de igual valor. Não seja descuidada a meditação semanal da Regra de Vida, que  poderá imitar as modalidades da lectio divina. Como subsídios, temos a disposição os textos preparados por pe. Pietro Riva e por pe. Giuseppe Rossi. As contribuições de pe. Rossi, trazidas nos últimos números do Boletim interno, serão impressas em um volume.  
            Lembro também para continuarem a leitura cotidiana de um parágrafo (ou de parte de um parágrafo) da Regra de Vida [NB: A RV está dividida em capítulos, parágrafos e números].
            Os retiros mensais sejam valorizados como ocasiões fortes de espiritualidade e de comunhão.
            Depois, a fraternidade deve encontrar, semanalmente, sustento e expressão por meio dos momentos de:
- vida comum,
- revisão sobre o andamento da comunidade e sobre sua missão,
- reflexão partilhada sobre documentos referentes à vida da Congregação e da Igreja.
            As comunidades da Itália e da Espanha levem em consideração e realizem, do melhor modo possível, as linhas operativas sobre a pastoral vocacional, assumidas em Lonigo, nos dias de sensibilização do mês de maio passado.
* Quanto mais a comunidade religiosa vive unida, mais a relação com os leigos se torna significativa, na ótica da Família pavoniana. Continuemos a intensificar esta experiência, fazendo tesouro dos passos dados, do caminho já feito por várias comunidades, das indicações que nos vêm dos nossos documentos sobre este tema.
* Que unidos pelo espírito pavoniano, partilhando momentos de oração, de formação e de avaliação, religiosos e leigos possamos colaborar sempre melhor na realização da missão comum. A missão obtem eficácia, na medida em que é vivida na unidade de objetivos e como expressão de um serviço motivado não tanto ou não somente por razões humanas, mas, sobretudo, pelo espírito de fé. Aquela fé no Senhor Jesus, que sabe transformar, dia a dia, como em Cana, o pouco que nós somos e que podemos realizar, na abundância da sua graça que dá força, alegria e esperança a quantos se entregam a ele, escutando o convite de Maria: “Fazei tudo que ele vos mandar” (Jo 2, 5).

Agenda deste período

            Domingo passado, 29 de agosto, em Susà, houve a celebração de despedida pelo fechamento da nossa comunidade. Foi uma grande e sentida participação por parte do povo, que manifestou gratidão por quanto se realizou em tantos anos de serviço educativo aos jovens e às famílias do local.
            No mesmo dia, concluindo o noviciado, emitiu a primeira profissão religiosa, em  Villavicencio, o jovem colombiano Meyer Polo. O outro noviço, o mexicano Alejandro Alatorre Mares, emitirá a primeira profissão, em Lagos de Moreno, no dia 11 de setembro, dia do aniversário do nascimento do Padre Fundador. Rezemos por eles e com eles agradeçamos a Deus.  
            Nos dias 6 e 7, em Lonigo, estarão reunidos os professores das nossas escolas da Itália para o encontro anual de formação em vistas do novo ano letivo.
            Domingo, dia 12, em Montagnana, haverá o 32° “Meeting das famílias”, organizado pelo GMA, sobre o tema: “Água, África, mulher, três palavras-chave para um mundo de relações”.
            De 25 a 27, se reunirá, em Tradate, o Conselho geral, com  a participação, na segunda parte do encontro, também dos superiores provinciais.
            “Feliz o povo que tem o Senhor como Deus”, rezamos com os salmos 33 e 144. Realmente feliz a Família pavoniana, feliz cada comunidade nossa, feliz cada um de nós, se tivermos como único Deus, isto é, como tesouro e fundamento da vida, o Senhor Jesus.
            É o desejo que partilho com vocês, cumprimentando-os com todo o meu coração.

pe. Lorenzo Agosti
Tradate, 1° de setembro de 2010.

Oração Vocacional Pavoniana

Oração Vocacional Pavoniana
Divino Mestre Jesus, ao anunciar o Reino do Pai escolheste discípulos e missionários dispostos a seguir-te em tudo; quiseste que ficassem contigo numa prolongada vivência do “espírito de família” a fim de prepará-los para serem tuas testemunhas e enviá-los a proclamar o Evangelho. Continua a falar ao coração de muitos e concede a quantos aceitaram teu chamado que, animados pelo teu Espírito, respondam com alegria e ofereçam sem reservas a própria vida em favor das crianças, dos surdos e dos jovens mais necessitados, a exemplo do beato Pe. Pavoni. Isto te pedimos confiantes pela intercessão de Maria Imaculada, Mãe e Rainha da nossa Congregação. Amém!

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL - FMI - "Vem e Segue-Me" é Jesus que chama!

  • Aspirantado "Nossa Senhora do Bom Conselho": Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Orientador dos Aspirantes – Pe. Célio Alex, FMI - Colaborador: Ir. Quelion Rosa, FMI.
  • Aspirantado "Pe. Antônio Federici": Q 21, Casas 71/73 . Setor Leste. CEP 72460-210 - Gama / DF . Telefax: (61) 3385.6786. Orientador dos Aspirantes - Ir. José Roberto, FMI.
  • Comunidade Religiosa "Nossa Senhora do Bom Conselho": SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944. Pastoral Vocacional: Ir. Thiago Cristino, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Basílica de Santo Antônio: Av. Santo Antônio, 2.030 - Bairro Santo Antônio. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3223.3083 (Comunidade Religiosa Pavoniana) / (27) 3223.2160 / 3322.0703 (Basílica de Santo Antônio) . Reitor da Basílica: Pe. Roberto Camillato, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Paróquia São Sebastião: Área Especial 02, praça 02 - Setor Leste. CEP 72460-000 - Gama/DF. Tel.: (61) 34841500 . Fax: (61) 3037.6678. Pároco: Pe. Natal Battezzi, FMI. Pastoral Vocacional: Pe. José Santos Xavier, FMI.
  • Juniorado "Ir. Miguel Pagani": Rua Dias Toledo, 99 - Bairro Vila Paris. CEP 30380-670 - Belo Horizonte / MG. Tel.: (31) 3296.2648. Orientador dos Junioristas - Pe. Claudinei Ramos Pereira, FMI. ***EPAV - Equipe Provincial de Animação Vocacional - Contatos: Ir. Antônio Carlos, Pe. Célio Alex e Pe. Claudinei Pereira, p/ e-mail: vocacional@pavonianos.org.br
  • Noviciado "Maria Imaculada": Rua Bento Gonçalves, 1375 - Bairro Centro. CEP 93001-970 - São Leopoldo / RS . Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.1087. Mestre de Noviços - Pe. Renzo Flório, FMI. Pastoral Vocacional: Ir. Johnson Farias e Ir. Bruno, FMI.
  • Seminário "Bom Pastor" (Aspirantado e Postulantado): Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Orientador do Seminário - Ir. César Thiago do Carmo Alves, FMI.

Associação das Obras Pavonianas de Assistência: servindo as crianças, os surdos e os jovens!

  • Centro Comunitário "Ludovico Pavoni": Rua Barão de Castro Lima, 478 - Bairro: Real Parque - Morumbi. CEP 05685-040. Tel.: (11) 3758.4112 / 3758.9060.
  • Centro de Apoio e Integração dos Surdos (CAIS) - Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Coordenador: Luís Vicente Caixeta
  • Centro de Formação Profissional: Av. Santo Antônio, 1746. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3233.9170. Telefax: (27) 3322.5174. Coordenadora: Sra. Rosilene, Leiga Associada da Família Pavoniana
  • Centro Educacional da Audição e Linguagem Ludovico Pavoni (CEAL-LP) SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944 . Diretor: Pe. José Rinaldi, FMI
  • Centro Medianeira: Rua Florêncio Câmara, 409 - Centro. CEP 93010-220 - São Leopoldo/RS. Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.2797 / 3589.6874. Diretor: Pe. Renzo Flório, FMI
  • Colégio São José: Praça Dom Otávio, 270 - Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre/MG - Caixa Postal: 149. Tel.: (35) 3423.5588 / 3423.8603 / 34238562. Fax: (35) 3422.1054. Cursinho Positivo: (35) 3423. 5229. Diretor: Prof. Giovani, Leigo Associado da Família Pavoniana
  • Escola Gráfica Profissional "Delfim Moreira" Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Diretor: Pe. Nelson Ned de Paula e Silva, FMI.
  • Obra Social "Ludovico Pavoni" - Quadra 21, Lotes 71/72 - Gama Leste/DF. CEP 72460-210. Tel.: (61) 3385.6786. Coordenador: Sra. Sueli
  • Obra Social "Ludovico Pavoni": Rua Monsenhor Umbelino, 424 - Centro. CEP 37110-000 - Elói Mendes/MG. Telefax: (35) 3264.1256 . Coordenadora: Sra. Andréia Mendes, Leiga Associada da Família Pavoniana.
  • Obra Social “Padre Agnaldo” e Pólo Educativo “Pe. Pavoni”: Rua Dias Toledo, 99 - Vila Paris. CEP 30380-670 – Belo Horizonte/MG. Tels.: (31) 3344.1800 - 3297.4962 - 0800.7270487 - Fax: (31) 3344.2373. Diretor: Pe. André Callegari, FMI.

Total de visualizações de página

Vídeos Pavonianos

Loading...

Quem sou eu?

Minha foto
Bréscia, Italy
Sou fundador da Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada, conhecida popularmente como RELIGIOSOS PAVONIANOS. Nasci na Itália no dia 11 de setembro de 1784 numa cidade chamada Bréscia. Senti o chamado de Deus para ir ao encontro das crianças e jovens que, por ocasião da guerra, ficaram órfãos, espalhados pelas ruas com fome, frio e sem ter o que fazer... e o pior, sem nenhuma perspectiva de futuro. Então decidi ajudá-los. Chamei-os para o meu Oratório (um lugar onde nos reuníamos para rezar e brincar) e depois ensinei-os a arte da marcenaria, serralheria, tipografia (fabricar livros), escultura, pintura... e muitas outras coisas. Graças a Deus tudo se encaminhou bem, pois Ele caminhava comigo, conforme prometera. Depois chamei colaboradores para dar continuidade àquilo que havia iniciado. Bem, como você pode perceber a minha história é bem longa... Se você também quer me ajudar entre em contato. Os meus amigos PAVONIANOS estarão de portas abertas para recebê-lo em nossa FAMÍLIA.