quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O Superior geral

Caríssimos irmãos e leigos da Família pavoniana,
para todos nós o mês de setembro se encontra num período significativo do ano. Para quem vive na Itália e na Espanha, bem como na Eritreia, este mês representa o início de um novo ano de atividades.
Iniciamos, portanto, na Congregação, o segundo ano pós-capitular que tem como tema: Comunidade unida com os leigos. Ao enfoque do tema sobre comunidade unida, que caracteriza e se refere a todo o triênio, acrescenta-se agora o aspecto da partilha do carisma pavoniano com os leigos, na perspectiva da Família pavoniana. Como texto de referência, junto à segunda parte do Documento capitular: Religiosos e leigos, está o Documento base da Família pavoniana.
Este segundo ano pós-capitular coloca-se dentro do “ano sacerdotal”, convocado pelo papa Bento XVI “para fazer perceber sempre mais a importância do papel e da missão do sacerdote na Igreja”. Como Congregação, queremos valorizar a vocação sacerdotal na perspectiva da vida como vocação. Queremos voltar à fonte da nossa pertença à Família pavoniana, como religiosos ou como leigos: o chamado de Deus.
Um ano vocacional: religiosos e leigos, chamados a partilhar o carisma pavoniano.
“Toda vida é vocação” , como afirmava Paulo VI na encíclica Populorum progressio (15), retomada também na recente encíclica de Bento XVI Caritas in veritate (16).
A vida humana vem de Deus, é um dom dele e é destinada a ele. O ser humano, portanto, é chamado a estabelecer e manter uma relação significativa com Deus. Seu objetivo principal é o de descobrir e de viver a vontade de Deus para sua vida, o projeto que Deus tem para a sua vida. É isto que dá significado, alegria autêntica e plenitude de realização à sua vida. A perspectiva vocacional é, portanto, determinante para o ser humano, para a realização de sua vida e para o seu serviço aos outros.
Esta perspectiva se torna ainda mais evidente para o cristão. A vocação não é reservada a alguns. Todos são chamados a realizar sua vida em Cristo e segundo os dons recebidos de Deus, dentro das três vocações fundamentais da vida cristã: a laical, a consagrada e a sacerdotal ou presbiteral. Nesta visão está a realidade da Família pavoniana.
Para nós religiosos, a Regra de Vida recorda: “O chamado de Cristo continua a interpelar os jovens e os homens do nosso tempo, e ressoou também dentro de nós, no convite para permanecer com ele, para aprender a conhecê-lo e anunciá-lo. A esta proposta respondemos com humilde generosidade e alegre gratidão seguindo-o na Congregação pavoniana” (207).
E ainda: “Deus nos chama, religiosos pavonianos, a renunciar às esperanças do mundo e a conformar a própria vida quanto possível à de Jesus Cristo casto, pobre e obediente até a cruz; assim consagrados, nos manda ser sinais e portadores do seu amor para os jovens, especialmente os mais pobres, aos quais dedicamos a nossa vida, segundo o projeto do Fundador. Seguindo Cristo nesta vida religiosa, estamos certos de concretizar os dons e os compromissos da consagração batismal com uma plenitude que é para nós o caminho para a santidade” (12).
Também para os leigos a Regra de Vida põe no centro o chamado de Deus: “Conscientes de que o carisma do padre Pavoni é um dom à Igreja, mistério de comunhão, reconhecemos que o Senhor chama mulheres e homens, adequadamente formados, para partilhar conosco o espírito, o estilo de vida e a responsabilidade do trabalho apostólico” (200).
Nesta perspectiva vocacional se fundamenta e pode se consolidar o caminho da Família pavoniana. Sem esta perspectiva, tudo se torna mais difícil e precário. Queremos, por isso, radicar o tema deste segundo ano pós-capitular na lógica vocacional; isto é, queremos enfocá-lo, antes de tudo, como um ano vocacional, sobre o qual todo o resto será desenvolvido.
Esta é a nossa vocação: partilhar o carisma pavoniano, como religiosos ou como leigos.
Comunidade unida com os leigos, capaz de proposta e de atração vocacional.
A comunidade não pode ser, sobretudo, o lugar ou o instrumento de apostolado, mas deve ser, antes de tudo, uma experiência de fraternidade, capaz de um autêntico testemunho vocacional. Assim afirmava na carta do mês passado, concluindo uma reflexão articulada, que tinha iniciado nas duas cartas precedentes.
Se somos realmente uma comunidade unida, unida em torno de Cristo, da sua palavra e da eucaristia, unida no nome de Maria e do Padre Fundador, unida na realização do projeto da Regra de Vida, não podemos deixar de irradiar em torno de nós um testemunho de fé, que leva a envolver outros na nossa experiência. Assim nasceu a Família pavoniana. Assim, religiosos e leigos, hoje, como Família, somos chamados a tomar sempre maior consciência da nossa identidade e das nossas responsabilidades.
Parafraseando uma famosa expressão de Paulo VI, podemos afirmar que “quando uma comunidade toma consciência de si torna-se vocacional”.
Quando percebemos os dons de Deus, quando nos tornamos realmente expressão do amor de Deus e da sua predileção pelos pequenos e pelos pobres, não podemos deixar de desejar e agir a fim de que outros se unam a nós, como religiosos ou como leigos, para dar solidez e continuidade ao carisma que a Congregação recebeu do Espírito, por meio do Padre Fundador. Com o testemunho de fé e de vida, em espírito de família, com a nossa ação apostólica e educativa e com as nossas iniciativas, façamos de nossa vida uma proposta vocacional, para dar futuro à missão pavoniana.
Lemos no Documento capitular: “Como é importante assumir o empenho de promover a vocação laical pavoniana; assim, intensificar o cuidado pelas vocações consagradas é garantia de continuidade carismática” (3.3). O crescer como comunidade unida com os leigos leve-nos, antes de tudo, este ano, a aprofundar estas convicções e a concretizar este empenho, difundindo o cultivo da vocação e criando as melhores condições para que outros descubram e partilhem a nossa vocação, “como uma escolha de notável utilidade para a Igreja e de grande atualidade para o mundo” (RV 219).
11 de setembro de 2009: 225° aniversário do nascimento do beato Ludovico Pavoni
No próximo dia 11 de setembro comemora-se o 225° aniversário do nascimento do Padre Fundador. Recordaremos tal data nas nossas comunidades. Esta circunstância seja para nós um incentivo para elaborar ou para rever a programação comunitária anual, acolhendo os estímulos que nos chegaram do Documento capitular e das Programações (geral e provinciais) que foram tiradas dele.
A este respeito, à presente carta anexo um modelo de horário comunitário, a ser adotado e adaptado como parte da programação comunitária.
Domingo passado, 30 de agosto, em Villavicencio, iniciaram o noviciado dois jovens: Meyer, um colombiano, e Alejandro, um mexicano, o primeiro pavoniano daquela nação. Enquanto que, domingo próximo, 06 de setembro, em Asmara, emitirão a primeira profissão religiosa os seis noviços eritreus: Hurui, Melake, Samuel, Simon, Tekleberhan e Tesfalidet. Com eles agradeçamos a Deus e rezemos pelo caminho de formação e pela perseverança deles, que poderá ser sustentada também pelo testemunho da nossa vida.
Sexta-feira, dia 04 de setembro, haverá, em Bréscia, um congresso educativo para todos os professores e os educadores, religiosos e leigos, das nossas comunidades na Itália, organizado em colaboração com a Universidade Católica. Tema do congresso: Girassóis e pipas – Partir da educação.
Domingo, dia 13 de setembro, em Montagnana, haverá o convênio anual do GMA, sobre o tema: A comunicação, oportunidade para uma cidadania global.
Em Madrid, nos dia 19 e 20 de setembro, haverá a reunião dos animadores “Saiano”.
Recebemos uma carta da Congregação romana dos religiosos (CIVCSVA), assinada pelo cardeal prefeito Franc Rodé, comentando o relatório sobre o estado da Congregação, enviado depois da celebração do Capítulo geral. Nela, entre outras coisas, nos vem dito: “A Igreja vos encoraja a caminhar na direção que o Capítulo geral estabeleceu a fim de que se manifeste a” glória “de Deus, cresça o sinal da fraternidade e o Evangelho de Cristo possa acompanhar os jovens rumo à consciência alegre da própria identidade humana e cristã”.
Invoquemos de Maria Imaculada e do nosso beato Padre Fundador o sustento para que este desejo possa encontrar ressonância em todos nós e nas nossas comunidades.
Com esta esperança, enquanto dirijo uma particular saudação aos irmãos que nestes dias mudam de comunidade e de atividade, envio a todos, de coração, meus cumprimentos no Senhor.
pe. Lorenzo Agosti, FMI - Pavonianos Tradate, 1 de setembro de 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração Vocacional Pavoniana

Oração Vocacional Pavoniana
Divino Mestre Jesus, ao anunciar o Reino do Pai escolheste discípulos e missionários dispostos a seguir-te em tudo; quiseste que ficassem contigo numa prolongada vivência do “espírito de família” a fim de prepará-los para serem tuas testemunhas e enviá-los a proclamar o Evangelho. Continua a falar ao coração de muitos e concede a quantos aceitaram teu chamado que, animados pelo teu Espírito, respondam com alegria e ofereçam sem reservas a própria vida em favor das crianças, dos surdos e dos jovens mais necessitados, a exemplo do beato Pe. Pavoni. Isto te pedimos confiantes pela intercessão de Maria Imaculada, Mãe e Rainha da nossa Congregação. Amém!

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL - FMI - "Vem e Segue-Me" é Jesus que chama!

  • Aspirantado "Nossa Senhora do Bom Conselho": Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Orientador dos Aspirantes – Pe. Célio Alex, FMI - Colaborador: Ir. Quelion Rosa, FMI.
  • Aspirantado "Pe. Antônio Federici": Q 21, Casas 71/73 . Setor Leste. CEP 72460-210 - Gama / DF . Telefax: (61) 3385.6786. Orientador dos Aspirantes - Ir. José Roberto, FMI.
  • Comunidade Religiosa "Nossa Senhora do Bom Conselho": SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944. Pastoral Vocacional: Ir. Thiago Cristino, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Basílica de Santo Antônio: Av. Santo Antônio, 2.030 - Bairro Santo Antônio. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3223.3083 (Comunidade Religiosa Pavoniana) / (27) 3223.2160 / 3322.0703 (Basílica de Santo Antônio) . Reitor da Basílica: Pe. Roberto Camillato, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Paróquia São Sebastião: Área Especial 02, praça 02 - Setor Leste. CEP 72460-000 - Gama/DF. Tel.: (61) 34841500 . Fax: (61) 3037.6678. Pároco: Pe. Natal Battezzi, FMI. Pastoral Vocacional: Pe. José Santos Xavier, FMI.
  • Juniorado "Ir. Miguel Pagani": Rua Dias Toledo, 99 - Bairro Vila Paris. CEP 30380-670 - Belo Horizonte / MG. Tel.: (31) 3296.2648. Orientador dos Junioristas - Pe. Claudinei Ramos Pereira, FMI. ***EPAV - Equipe Provincial de Animação Vocacional - Contatos: Ir. Antônio Carlos, Pe. Célio Alex e Pe. Claudinei Pereira, p/ e-mail: vocacional@pavonianos.org.br
  • Noviciado "Maria Imaculada": Rua Bento Gonçalves, 1375 - Bairro Centro. CEP 93001-970 - São Leopoldo / RS . Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.1087. Mestre de Noviços - Pe. Renzo Flório, FMI. Pastoral Vocacional: Ir. Johnson Farias e Ir. Bruno, FMI.
  • Seminário "Bom Pastor" (Aspirantado e Postulantado): Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Orientador do Seminário - Ir. César Thiago do Carmo Alves, FMI.

Associação das Obras Pavonianas de Assistência: servindo as crianças, os surdos e os jovens!

  • Centro Comunitário "Ludovico Pavoni": Rua Barão de Castro Lima, 478 - Bairro: Real Parque - Morumbi. CEP 05685-040. Tel.: (11) 3758.4112 / 3758.9060.
  • Centro de Apoio e Integração dos Surdos (CAIS) - Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Coordenador: Luís Vicente Caixeta
  • Centro de Formação Profissional: Av. Santo Antônio, 1746. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3233.9170. Telefax: (27) 3322.5174. Coordenadora: Sra. Rosilene, Leiga Associada da Família Pavoniana
  • Centro Educacional da Audição e Linguagem Ludovico Pavoni (CEAL-LP) SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944 . Diretor: Pe. José Rinaldi, FMI
  • Centro Medianeira: Rua Florêncio Câmara, 409 - Centro. CEP 93010-220 - São Leopoldo/RS. Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.2797 / 3589.6874. Diretor: Pe. Renzo Flório, FMI
  • Colégio São José: Praça Dom Otávio, 270 - Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre/MG - Caixa Postal: 149. Tel.: (35) 3423.5588 / 3423.8603 / 34238562. Fax: (35) 3422.1054. Cursinho Positivo: (35) 3423. 5229. Diretor: Prof. Giovani, Leigo Associado da Família Pavoniana
  • Escola Gráfica Profissional "Delfim Moreira" Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Diretor: Pe. Nelson Ned de Paula e Silva, FMI.
  • Obra Social "Ludovico Pavoni" - Quadra 21, Lotes 71/72 - Gama Leste/DF. CEP 72460-210. Tel.: (61) 3385.6786. Coordenador: Sra. Sueli
  • Obra Social "Ludovico Pavoni": Rua Monsenhor Umbelino, 424 - Centro. CEP 37110-000 - Elói Mendes/MG. Telefax: (35) 3264.1256 . Coordenadora: Sra. Andréia Mendes, Leiga Associada da Família Pavoniana.
  • Obra Social “Padre Agnaldo” e Pólo Educativo “Pe. Pavoni”: Rua Dias Toledo, 99 - Vila Paris. CEP 30380-670 – Belo Horizonte/MG. Tels.: (31) 3344.1800 - 3297.4962 - 0800.7270487 - Fax: (31) 3344.2373. Diretor: Pe. André Callegari, FMI.

Total de visualizações de página

Vídeos Pavonianos

Loading...

Quem sou eu?

Minha foto
Bréscia, Italy
Sou fundador da Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada, conhecida popularmente como RELIGIOSOS PAVONIANOS. Nasci na Itália no dia 11 de setembro de 1784 numa cidade chamada Bréscia. Senti o chamado de Deus para ir ao encontro das crianças e jovens que, por ocasião da guerra, ficaram órfãos, espalhados pelas ruas com fome, frio e sem ter o que fazer... e o pior, sem nenhuma perspectiva de futuro. Então decidi ajudá-los. Chamei-os para o meu Oratório (um lugar onde nos reuníamos para rezar e brincar) e depois ensinei-os a arte da marcenaria, serralheria, tipografia (fabricar livros), escultura, pintura... e muitas outras coisas. Graças a Deus tudo se encaminhou bem, pois Ele caminhava comigo, conforme prometera. Depois chamei colaboradores para dar continuidade àquilo que havia iniciado. Bem, como você pode perceber a minha história é bem longa... Se você também quer me ajudar entre em contato. Os meus amigos PAVONIANOS estarão de portas abertas para recebê-lo em nossa FAMÍLIA.