sexta-feira, 7 de maio de 2010

O Superior geral


Caríssimos irmãos e leigos da Família pavoniana,
            “se ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto, onde Cristo está, sentado à direita de Deus; dirigi o pensamento às coisas do alto, não às da terra” (Cl 3, 1-2). É o convite incisivo do apóstolo Paulo, que ressoa de modo especial no tempo pascal que estamos celebrando. Ressuscitados com  Cristo, isto é, renascidos para uma vida nova com o batismo, somos chamados a viver cada dia como ressuscitados, a viver a nova existência que encontra em Cristo, crucificado e Senhor, o modelo, a luz e a fonte. S. Paulo manifesta esta novidade, exortando-nos a buscar e voltar o pensamento às coisas do alto e não às da terra. Certamente  não se trata de assumir atitudes desencarnadas, isto é, de nos desinteressar pela realidade na qual estamos inseridos. Pelo contrário, trata-se de enfrentar a vida de cada dia à luz da fé, sob o olhar de Cristo, sentado à direita de Deus.
            É esta a referência que dá sentido à nossa vocação de cristãos e de consagrados. O risco que podemos correr é o de deixar conviver em nós uma referência abstrata a Cristo juntamente com um comportamento prático afastado do evangelho, misturado e condicionado com as coisas da terra, ou seja, com a mentalidade do “mundo”. Uma autêntica vida de fé exige uma luta constante, sustentada pela graça de Deus, para fazer crescer em nós o homem novo, o homem ressuscitado em Cristo, o homem permeado pelo espírito do evangelho, pelo “mandamento novo” do amor.
            A palavra de Deus nos lembra que “a figura deste mundo passa” (1 Cor 7, 31). Os leigos têm como vocação específica levar o fermento do evangelho às atividades humanas. Os religiosos, com a sua vocação, caracterizada pelos votos de castidade, pobreza e obediência, testemunham o  primado de Deus e a tensão de toda a realidade rumo ao encontro final com o Senhor (cf. CFL 55).
Religiosos e leigos juntos, na Família pavoniana, ofereçamos a nossa contribuição para manter vivo e para atualizar o carisma dado pelo Espírito ao nosso Padre Fundador, em favor de um testemunho específico do evangelho e de um serviço especial aos jovens e a os pobres.

A nossa vocação, dom e empenho

            O tempo pascal é um tempo favorável também para tomar consciência da própria realidade de “chamados” e, portanto, para nos tornarmos mais conscientes e mais responsáveis pela vocação recebida.
            Nesta ótica, como já é do conhecimento de todos, organizamos, para as regiões da Itália e da Espanha, um encontro de sensibilização vocacional, que será realizado em Lonigo, de 7 a 9 de maio. O objetivo é o de refletir como hoje, nos diversos contextos do mundo, em particular no mundo ocidental, é percebido o sentido vocacional da vida. Da reflexão deverá brotar a consciência de como todos, indivíduos e comunidades, estamos envolvidos na promoção de um cultivo da vocação. Desta consciência sairá a busca partilhada de propostas válidas e eficazes para favorecer novas vocações consagradas à Congregação.
            O Documento capitular acentua este empenho, como uma das prioridades do sexênio, em um parágrafo (3.3) sobre o qual é preciso voltar com frequência. A Ratio formationis recorda este empenho de todos (cf 3.1.3). A mesma Regra de Vida aponta nesta direção. Refiro-me aos primeiros números do capítulo sobre a vida consagrada na parte do Diretório (330-336). Entre outras coisas, aqui também foram feitas breves modificações ao texto anterior por parte do último Capítulo geral.
            Coloco em evidência três aspectos.
            Antes de tudo, cada um de nós é chamado a perseverar na própria vocação com coerência e com amor (RV 330). Na base de todo outro passo está este aspecto, que nos responsabiliza diante de um dom e de um empenho que recebemos de Deus. O seu chamado suscita em nós alegre reconhecimento e generosa correspondência.
            Em segundo lugar, a Regra de Vida nos lembra, ainda neste âmbito, a ligação que temos com os irmãos. “Sintamo-nos corresponsáveis pela fidelidade dos irmãos que partilham a nossa vida” (334). A fraternidade nos pede ajudar os nossos irmãos a proteger a sua vocação. O amor recíproco, a estima, o apoio mútuo, a atenção à pessoa, o diálogo e o perdão são algumas atitudes que  precedem qualquer outra exigência. Essas qualificam o nosso espírito de família e favorecem, portanto, no irmão aquelas disposições que lhe permitem ser fiel ao chamado de Deus.
            Enfim, a Regra de Vida tira as consequências referentes ao nosso testemunho e à proposta vocacional. “Vivemos a nossa escolha vocacional de modo tal que se torne um convite,  para aqueles que encontramos, para seguir o Senhor segundo sua vocação” (332). “Com a oração e a perseverança alegre ajudamos outros a perceberem o seu chamado para a nossa Congregação. Se poucos são os que se unem a nós, tenhamos a coragem de nos colocar em causa” (333). A pastoral vocacional implica, hoje, o envolvimento de todo nós e de cada uma das nossas comunidades. Não é mais suficiente delegar a qualquer irmão a tarefa de “se ocupar das vocações”. Cada um de nós é chamado a dar testemunho e a fazer a sua parte, isto é, a ter esta atenção na realização do seu serviço apostólico. Por força do nosso carisma, a promoção de novas vocações para a Congregação nos interessa, é empenho de cada um de nós.  Ninguém pode se excluir disso. 
            Trata-se de descobrir caminhos que, junto com a oração e o testemunho, sejam meios válidos e eficazes para atingir este fim. Reconheço com gratidão que existem também muitos leigos da Família pavoniana que se demonstram sensíveis e agem para que a Congregação possa ter o dom de novas vocações consagradas. Encorajo a todos, religiosos e leigos, a intensificarem este empenho e a levá-lo adiante com perseverança, animados por grande confiança em Deus e por uma paixão incondicionada pelo nosso carisma, que o Espírito do Senhor suscitou por meio do Padre Fundador, para o crescimento do reino de Deus.

Preparação para a festa de 28 de maio com a adoração de sábado, 22

            Este ano também nos prepararemos para a festa litúrgica do nosso beato Padre Fundador com as “24 horas contínuas de adoração” em todas as nossas comunidades, fixadas para sábado, 22 de maio, segundo o calendário dos anos passados. Anexo a tabela, recordando que as primeiras comunidades do Brasil e as da Colômbia iniciarão a adoração, sexta-feira, à tarde, no dia 21 de maio. Depois delas, na manhã do dia 22, continuarão a adoração as comunidades de Asmara; seguirão, depois, as primeiras comunidades da Itália. Sucessivamente, tocará às outras comunidades do Brasil com a das Filipinas. Retomarão a adoração o resto das comunidades da Itália e as da Espanha, para concluir  com as comunidades do México.
            A intenção deste dia de adoração é dupla: pedir a Deus a glorificação do beato Ludovico Pavoni e o dom para a Congregação de novas vocações de sacerdotes e de irmãos leigos. 
            Entre outras coisas, sábado, dia 22 de maio, coincide com a vigília de Pentecostes. A nossa adoração será, portanto, também mais significativa, sentindo-nos unidos a todos os cristãos em invocar o dom do Espírito Santo para a vida e a missão da Igreja e para a renovação da “face da  terra”.
            Além das jornadas de sensibilização vocacional, de 7 a 9 de maio, em Lonigo, outros eventos do mês serão: a VII “Marcha Pavoniana” na Espanha (sábado, 15) e o “GIO-FEST”, em Lonigo (sexta-feira, 28), dia de festa para os jovens das instituições escolares pavonianas da Itália. Domingo, 23, Alfianello celebrará a jornada patronal anual em honra do beato Ludovico Pavoni.           De minha parte, enquanto envio a todos as cordiais saudações dos irmãos de Asmara, que acabo de visitar, estarei, de 3 a 21, em visita às comunidades da Colômbia e nos dias 26-28 participarei, em Roma, da assembleia semestral dos Superiores gerais.
            Como nos convida a liturgia, vivamos e levemos a todos a alegria do Senhor ressuscitado. Em seu nome e sob o olhar de Maria que veneramos com particular amor neste mês de maio, vos saúdo de coração e vos desejo todo bem.

pe. Lorenzo Agosti


Tradate, 2 de maio de 2010, V domingo de Páscoa (C). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração Vocacional Pavoniana

Oração Vocacional Pavoniana
Divino Mestre Jesus, ao anunciar o Reino do Pai escolheste discípulos e missionários dispostos a seguir-te em tudo; quiseste que ficassem contigo numa prolongada vivência do “espírito de família” a fim de prepará-los para serem tuas testemunhas e enviá-los a proclamar o Evangelho. Continua a falar ao coração de muitos e concede a quantos aceitaram teu chamado que, animados pelo teu Espírito, respondam com alegria e ofereçam sem reservas a própria vida em favor das crianças, dos surdos e dos jovens mais necessitados, a exemplo do beato Pe. Pavoni. Isto te pedimos confiantes pela intercessão de Maria Imaculada, Mãe e Rainha da nossa Congregação. Amém!

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL - FMI - "Vem e Segue-Me" é Jesus que chama!

  • Aspirantado "Nossa Senhora do Bom Conselho": Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Orientador dos Aspirantes – Pe. Célio Alex, FMI - Colaborador: Ir. Quelion Rosa, FMI.
  • Aspirantado "Pe. Antônio Federici": Q 21, Casas 71/73 . Setor Leste. CEP 72460-210 - Gama / DF . Telefax: (61) 3385.6786. Orientador dos Aspirantes - Ir. José Roberto, FMI.
  • Comunidade Religiosa "Nossa Senhora do Bom Conselho": SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944. Pastoral Vocacional: Ir. Thiago Cristino, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Basílica de Santo Antônio: Av. Santo Antônio, 2.030 - Bairro Santo Antônio. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3223.3083 (Comunidade Religiosa Pavoniana) / (27) 3223.2160 / 3322.0703 (Basílica de Santo Antônio) . Reitor da Basílica: Pe. Roberto Camillato, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Paróquia São Sebastião: Área Especial 02, praça 02 - Setor Leste. CEP 72460-000 - Gama/DF. Tel.: (61) 34841500 . Fax: (61) 3037.6678. Pároco: Pe. Natal Battezzi, FMI. Pastoral Vocacional: Pe. José Santos Xavier, FMI.
  • Juniorado "Ir. Miguel Pagani": Rua Dias Toledo, 99 - Bairro Vila Paris. CEP 30380-670 - Belo Horizonte / MG. Tel.: (31) 3296.2648. Orientador dos Junioristas - Pe. Claudinei Ramos Pereira, FMI. ***EPAV - Equipe Provincial de Animação Vocacional - Contatos: Ir. Antônio Carlos, Pe. Célio Alex e Pe. Claudinei Pereira, p/ e-mail: vocacional@pavonianos.org.br
  • Noviciado "Maria Imaculada": Rua Bento Gonçalves, 1375 - Bairro Centro. CEP 93001-970 - São Leopoldo / RS . Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.1087. Mestre de Noviços - Pe. Renzo Flório, FMI. Pastoral Vocacional: Ir. Johnson Farias e Ir. Bruno, FMI.
  • Seminário "Bom Pastor" (Aspirantado e Postulantado): Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Orientador do Seminário - Ir. César Thiago do Carmo Alves, FMI.

Associação das Obras Pavonianas de Assistência: servindo as crianças, os surdos e os jovens!

  • Centro Comunitário "Ludovico Pavoni": Rua Barão de Castro Lima, 478 - Bairro: Real Parque - Morumbi. CEP 05685-040. Tel.: (11) 3758.4112 / 3758.9060.
  • Centro de Apoio e Integração dos Surdos (CAIS) - Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Coordenador: Luís Vicente Caixeta
  • Centro de Formação Profissional: Av. Santo Antônio, 1746. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3233.9170. Telefax: (27) 3322.5174. Coordenadora: Sra. Rosilene, Leiga Associada da Família Pavoniana
  • Centro Educacional da Audição e Linguagem Ludovico Pavoni (CEAL-LP) SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944 . Diretor: Pe. José Rinaldi, FMI
  • Centro Medianeira: Rua Florêncio Câmara, 409 - Centro. CEP 93010-220 - São Leopoldo/RS. Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.2797 / 3589.6874. Diretor: Pe. Renzo Flório, FMI
  • Colégio São José: Praça Dom Otávio, 270 - Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre/MG - Caixa Postal: 149. Tel.: (35) 3423.5588 / 3423.8603 / 34238562. Fax: (35) 3422.1054. Cursinho Positivo: (35) 3423. 5229. Diretor: Prof. Giovani, Leigo Associado da Família Pavoniana
  • Escola Gráfica Profissional "Delfim Moreira" Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Diretor: Pe. Nelson Ned de Paula e Silva, FMI.
  • Obra Social "Ludovico Pavoni" - Quadra 21, Lotes 71/72 - Gama Leste/DF. CEP 72460-210. Tel.: (61) 3385.6786. Coordenador: Sra. Sueli
  • Obra Social "Ludovico Pavoni": Rua Monsenhor Umbelino, 424 - Centro. CEP 37110-000 - Elói Mendes/MG. Telefax: (35) 3264.1256 . Coordenadora: Sra. Andréia Mendes, Leiga Associada da Família Pavoniana.
  • Obra Social “Padre Agnaldo” e Pólo Educativo “Pe. Pavoni”: Rua Dias Toledo, 99 - Vila Paris. CEP 30380-670 – Belo Horizonte/MG. Tels.: (31) 3344.1800 - 3297.4962 - 0800.7270487 - Fax: (31) 3344.2373. Diretor: Pe. André Callegari, FMI.

Total de visualizações de página

Vídeos Pavonianos

Loading...

Quem sou eu?

Minha foto
Bréscia, Italy
Sou fundador da Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada, conhecida popularmente como RELIGIOSOS PAVONIANOS. Nasci na Itália no dia 11 de setembro de 1784 numa cidade chamada Bréscia. Senti o chamado de Deus para ir ao encontro das crianças e jovens que, por ocasião da guerra, ficaram órfãos, espalhados pelas ruas com fome, frio e sem ter o que fazer... e o pior, sem nenhuma perspectiva de futuro. Então decidi ajudá-los. Chamei-os para o meu Oratório (um lugar onde nos reuníamos para rezar e brincar) e depois ensinei-os a arte da marcenaria, serralheria, tipografia (fabricar livros), escultura, pintura... e muitas outras coisas. Graças a Deus tudo se encaminhou bem, pois Ele caminhava comigo, conforme prometera. Depois chamei colaboradores para dar continuidade àquilo que havia iniciado. Bem, como você pode perceber a minha história é bem longa... Se você também quer me ajudar entre em contato. Os meus amigos PAVONIANOS estarão de portas abertas para recebê-lo em nossa FAMÍLIA.