sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Ludovico Pavoni precursor do método preventivo de Dom Bosco

Pe. Lorenzo Agosti,
Superior geral dos
Filhos de Maria Imaculada (Pavonianos)

A vocação específica de Ludovico Pavoni foi em função da educação cristã e profissional da juventude pobre. Ele deu origem em três etapas sucessivas ao Oratório, ao Instituto e no final à Congregação dos Filhos de Maria Imaculada. Pe. Pavoni percebeu-se chamado, interpelado por Deus para ir ao encontro das necessidades das crianças e dos jovens do seu tempo. Estas necessidades tornaram-se para ele como doces atrativos (RU I 42), isto é, fortes motivações que o envolveram com todo o seu ser, orientando-o para o serviço aos jovens em situações de risco e de necessidade. Para eles deixou o quieto e confortável viver da casa paterna (RU I 42). Começou, assim, a cuidar da educação na religião e na profissão de muitos pobres órfãos ou abandonados filhos...ajudando-os e passando a dar à Igreja ótimos cristãos e à Nação bons mestres artesãos e súditos virtuosos e fiéis (RF, RU I 64).

Nas suas escolhas apostólicas, devemos pensar, pe. Pavoni, como o precursor daquelas obras estupendas que logo depois São João Bosco criou e promoveu espalhando-as no mundo todo (Decreto sobre a heroicidade das virtudes, 1947). Também na sua ação educativa pode ser considerado precursor do Método preventivo de Dom Bosco, centrado no trinômio: razão, amabilidade e religião. Estes três componentes estritamente conexos entre si, emergem em maneira constante também no estilo e nos escritos do pe. Pavoni.

Alguns testemunhos nos lembram que tinha um cuidado especial para os seus filhos e os educava pelo coração (LPV págs. 293 e 290). Com a atrativa dos seus modos e com a autoridade do seu exemplo ele conseguia guiá-los do seu jeito, mas partindo sempre do movimento e do entusiasmo que nascia neles (LPV pás. 267).

Um trecho de uma carta ao Domingos Guccini une em maneira significativa, dois dos três critérios indicados por Dom Bosco no seu método preventivo. O Pavoni aconselha ao Domingos de saber-se comportar em cada encontro com aquela amabilidade que tão bem condiz com o nosso sistema de educação. Saiba se conter com aquela gravidade que ganha respeito, mas ao mesmo tempo, com aquela doçura que atrai, arrebata. Deixa a quem queira o chicote, porque o chicote do homem deve ser a razão (LG 29). Pe. Pavoni fala de um nosso sistema de educação e coloca em evidência duas dimensões fundamentais deste sistema: a razão e a amabilidade e doçura, que traduzem a realidade da amorosidade.

A reflexão e a experiência tem levado o pe. Pavoni a traçar um sistema de educação, um verdadeiro método educativo, caracterizado pela presença dos meios típicos de uma pedagogia preventiva: religião e razão, amor e doçura, vigilância e conhecimento, relação pessoal dentro de uma estrutura familiar e em um intenso compromisso de trabalho. Pe. Pavoni já tinha feito própria, na teoria e na prática, a expressão que será de Dom Bosco: este sistema se apóia por completo sobre a razão, a religião e a amorosidade.

Amor e razão são os critérios que estão sempre presentes nas indicações educativas do pe. Pavoni, desde o Regulamento do Oratório até ao do Instituto e às Constituições. A propósito do Prefeito do Oratório, afirma: O zelo não deve alterar o exercício da humildade, caridade e doçura, que devem ser as virtudes distintivas. Se será preciso por prudência repreender alguns dos jovens de algum defeito, procurará fazê-lo com modos delicados e suaves (RU I 19). Primeiro compromisso do responsável dos cantores será de conduzi-los com a persuasão e a doçura para o exato cumprimento de seus deveres (RU I p.21). Será preocupação do inspetor dos adultos procurar com sábias convicções que eles gostem da virtude (RU I p.21).

Os artesãos mestres do Instituto devem ter cuidado que os jovens a eles confiados atendam com assiduidade às próprias incumbências. Devem assisti-los com carinho, para que avancem no conhecimento da arte que estão aprendendo, de acordo com as próprias capacidades e talentos (RU I p.45).

Além disso: Velarão sobre os alunos que lhes forem confiados, como sobre um tesouro precioso e santo, amando-os como a pupila dos próprios olhos (CP 257). Esforçar-se-ão por acostumar os alunos a amar o trabalho e a agir mais por amor do que por temor (CP 258). Estudem com atenção o temperamento e as aptidões dos seus discípulos, para conduzi-los segundo suas inclinações (CP 259). Tratarão os seus alunos com brandura e cortesia (CP 260).

Razão e amor inspiram também o método de correção. No Regulamento do Instituto, pe. Pavoni afirma: Em lugar de recorrer ao sistema da severidade, com o qual, muitas vezes, os meninos são levados a operar mais por temor e por hipocrisia, do que por sentimento e por amor, escolhemos o método da emulação e da honradez, com o qual – se não é feito mau uso - tudo se pode sobre o coração sensível da juventude (RU I p.54). Mais adiante fala de paternas repreensões... a fim de que os meninos reflitam... e se corrigiam (RU I p.55).

Quanto á religião, o Pavoni partilhava, com certeza, o conteúdo de uma carta escrita quando foi secretário do Bispo, onde se lê:... a educação é um dos fundamentais objetos que interessam igualmente o bem da religião e da nação. Mas para promover o bem de uma e da outra, será necessário, que toda educação tenha como base a Santa Religião, que formando um bom cristão o torna ao mesmo tempo também um bom cidadão e um súdito fiel... A experiência demonstra não ser possível educar a juventude bem comportada e reta na base do desprezo da Religião (EAP, p.448).

A religião, afirma nas Constituições, é o objetivo fundamental de toda boa educação (CP 244). No Instituto um cuidado especial deverá ser usado na formação do coração dos jovens, na instrução religiosa e nas práticas religiosas, cultivando neles aquela verdadeira piedade que honra a Deus, santifica as almas, edifica o próximo e dá felicidade às famílias; numa piedade sólida, robusta, desinibida e esclarecida, que vise à perfeita observância dos próprios deveres (CP 123). A formação humana não pode ser separada, portanto, daquela religiosa, proposta em um modo sólido e autêntico, persuasivo e cativante. Favorecer uma educação integral dos jovens, humana e cristã deve ser uma das tarefas e das preocupações do mesmo Reitor: Será todo mente e coração para dispor que os jovens assistidos sejam bem instruídos e retamente educados na religião e nas boas maneiras de tratar, a fim de que se tornem excelentes cristãos, bons pais de família, cidadãos honrados, amigos da religião e de proveito para a sociedade (CP 224).

Quanto à formação cristã, aos responsáveis do Oratório dizia: devem animá-los com doçura à freqüência dos sacramentos, vão corrigi-los afavelmente dos próprios defeitos e, procurarão de colocar nos corações deles com a palavra e com o exemplo o amor à piedade e a fuga do vício (RU I 21). Devem com agradabilidade e amavelmente tornar para eles suave e doce o jugo de Jesus Cristo (RU I 21). Em maneira toda especial o Diretor Espiritual tem uma tarefa específica nesta área. Será necessário que ele não somente se dedique a instruir os alunos, mas, sobretudo, se esmere em fazê-los saborear os princípios da fé que professam e os dirija no espírito (CP 244). Nas instruções procurará apresentar os deveres da religião como um jugo suave e um peso leve que, uma vez experimentado, torna-se fácil e agradável (CP 245). Persuadi-los-á de que o que não é Deus nada vale... e acostuma-los-á a considerar as coisas com os olhos da fé, julgando-as como as julga a fé (CP 252).

O cume do compromisso educativo será ajudar o jovem e descobrir e a realizar o projeto de Deus sobre ele mesmo: o inspirar a vocação pertence somente a Deus. Para nós o importante é secundar os impulsos que dele vêm (CP 253).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oração Vocacional Pavoniana

Oração Vocacional Pavoniana
Divino Mestre Jesus, ao anunciar o Reino do Pai escolheste discípulos e missionários dispostos a seguir-te em tudo; quiseste que ficassem contigo numa prolongada vivência do “espírito de família” a fim de prepará-los para serem tuas testemunhas e enviá-los a proclamar o Evangelho. Continua a falar ao coração de muitos e concede a quantos aceitaram teu chamado que, animados pelo teu Espírito, respondam com alegria e ofereçam sem reservas a própria vida em favor das crianças, dos surdos e dos jovens mais necessitados, a exemplo do beato Pe. Pavoni. Isto te pedimos confiantes pela intercessão de Maria Imaculada, Mãe e Rainha da nossa Congregação. Amém!

SERVIÇO DE ANIMAÇÃO VOCACIONAL - FMI - "Vem e Segue-Me" é Jesus que chama!

  • Aspirantado "Nossa Senhora do Bom Conselho": Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Orientador dos Aspirantes – Pe. Célio Alex, FMI - Colaborador: Ir. Quelion Rosa, FMI.
  • Aspirantado "Pe. Antônio Federici": Q 21, Casas 71/73 . Setor Leste. CEP 72460-210 - Gama / DF . Telefax: (61) 3385.6786. Orientador dos Aspirantes - Ir. José Roberto, FMI.
  • Comunidade Religiosa "Nossa Senhora do Bom Conselho": SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944. Pastoral Vocacional: Ir. Thiago Cristino, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Basílica de Santo Antônio: Av. Santo Antônio, 2.030 - Bairro Santo Antônio. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3223.3083 (Comunidade Religiosa Pavoniana) / (27) 3223.2160 / 3322.0703 (Basílica de Santo Antônio) . Reitor da Basílica: Pe. Roberto Camillato, FMI.
  • Comunidade Religiosa da Paróquia São Sebastião: Área Especial 02, praça 02 - Setor Leste. CEP 72460-000 - Gama/DF. Tel.: (61) 34841500 . Fax: (61) 3037.6678. Pároco: Pe. Natal Battezzi, FMI. Pastoral Vocacional: Pe. José Santos Xavier, FMI.
  • Juniorado "Ir. Miguel Pagani": Rua Dias Toledo, 99 - Bairro Vila Paris. CEP 30380-670 - Belo Horizonte / MG. Tel.: (31) 3296.2648. Orientador dos Junioristas - Pe. Claudinei Ramos Pereira, FMI. ***EPAV - Equipe Provincial de Animação Vocacional - Contatos: Ir. Antônio Carlos, Pe. Célio Alex e Pe. Claudinei Pereira, p/ e-mail: vocacional@pavonianos.org.br
  • Noviciado "Maria Imaculada": Rua Bento Gonçalves, 1375 - Bairro Centro. CEP 93001-970 - São Leopoldo / RS . Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.1087. Mestre de Noviços - Pe. Renzo Flório, FMI. Pastoral Vocacional: Ir. Johnson Farias e Ir. Bruno, FMI.
  • Seminário "Bom Pastor" (Aspirantado e Postulantado): Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Orientador do Seminário - Ir. César Thiago do Carmo Alves, FMI.

Associação das Obras Pavonianas de Assistência: servindo as crianças, os surdos e os jovens!

  • Centro Comunitário "Ludovico Pavoni": Rua Barão de Castro Lima, 478 - Bairro: Real Parque - Morumbi. CEP 05685-040. Tel.: (11) 3758.4112 / 3758.9060.
  • Centro de Apoio e Integração dos Surdos (CAIS) - Rua Pe. Pavoni, 294 - Bairro Rosário . CEP 38701-002 Patos de Minas / MG . Tel.: (34) 3822.3890. Coordenador: Luís Vicente Caixeta
  • Centro de Formação Profissional: Av. Santo Antônio, 1746. CEP 29025-000 - Vitória/ES. Tel.: (27) 3233.9170. Telefax: (27) 3322.5174. Coordenadora: Sra. Rosilene, Leiga Associada da Família Pavoniana
  • Centro Educacional da Audição e Linguagem Ludovico Pavoni (CEAL-LP) SGAN Av. W5 909, Módulo "B" - Asa Norte. CEP 70790-090 - Brasília/DF. Tel.: (61) 3349.9944 . Diretor: Pe. José Rinaldi, FMI
  • Centro Medianeira: Rua Florêncio Câmara, 409 - Centro. CEP 93010-220 - São Leopoldo/RS. Caixa Postal: 172. Tel.: (51) 3037.2797 / 3589.6874. Diretor: Pe. Renzo Flório, FMI
  • Colégio São José: Praça Dom Otávio, 270 - Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre/MG - Caixa Postal: 149. Tel.: (35) 3423.5588 / 3423.8603 / 34238562. Fax: (35) 3422.1054. Cursinho Positivo: (35) 3423. 5229. Diretor: Prof. Giovani, Leigo Associado da Família Pavoniana
  • Escola Gráfica Profissional "Delfim Moreira" Rua Monsenhor José Paulino, 371 - Bairro Centro. CEP 37550-000 - Pouso Alegre / MG . Caixa Postal: 217. Tel: (35) 3425.1196 . Diretor: Pe. Nelson Ned de Paula e Silva, FMI.
  • Obra Social "Ludovico Pavoni" - Quadra 21, Lotes 71/72 - Gama Leste/DF. CEP 72460-210. Tel.: (61) 3385.6786. Coordenador: Sra. Sueli
  • Obra Social "Ludovico Pavoni": Rua Monsenhor Umbelino, 424 - Centro. CEP 37110-000 - Elói Mendes/MG. Telefax: (35) 3264.1256 . Coordenadora: Sra. Andréia Mendes, Leiga Associada da Família Pavoniana.
  • Obra Social “Padre Agnaldo” e Pólo Educativo “Pe. Pavoni”: Rua Dias Toledo, 99 - Vila Paris. CEP 30380-670 – Belo Horizonte/MG. Tels.: (31) 3344.1800 - 3297.4962 - 0800.7270487 - Fax: (31) 3344.2373. Diretor: Pe. André Callegari, FMI.

Total de visualizações de página

Vídeos Pavonianos

Loading...

Artigos do blog

Quem sou eu?

Minha foto
Bréscia, Italy
Sou fundador da Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada, conhecida popularmente como RELIGIOSOS PAVONIANOS. Nasci na Itália no dia 11 de setembro de 1784 numa cidade chamada Bréscia. Senti o chamado de Deus para ir ao encontro das crianças e jovens que, por ocasião da guerra, ficaram órfãos, espalhados pelas ruas com fome, frio e sem ter o que fazer... e o pior, sem nenhuma perspectiva de futuro. Então decidi ajudá-los. Chamei-os para o meu Oratório (um lugar onde nos reuníamos para rezar e brincar) e depois ensinei-os a arte da marcenaria, serralheria, tipografia (fabricar livros), escultura, pintura... e muitas outras coisas. Graças a Deus tudo se encaminhou bem, pois Ele caminhava comigo, conforme prometera. Depois chamei colaboradores para dar continuidade àquilo que havia iniciado. Bem, como você pode perceber a minha história é bem longa... Se você também quer me ajudar entre em contato. Os meus amigos PAVONIANOS estarão de portas abertas para recebê-lo em nossa FAMÍLIA.